segunda-feira, 10 de outubro de 2011

A Leste nada de novo - Donal Tusk e o PO por mais quatro anos

Donald Tusk o primeiro-ministro polaco conhecido por ser "sopinha-de-massa" (tem problemas de dicção) continua a ser o eleito dos polacos, ganhou as eleições legislativas deste Outubro com quase 49% das intenções de voto. 

Donald Tusk e os seus apoiantes do PO (Platforma Obywatelska) celebram a vitória e a continuação do executivo por mais quatro anos que se preveem conturbados. Fonte: Fot. Wojciech Olkuśnik / Agencja Gazeta


Segue-lhe o PiS de Kaczyński com 30%. Nada de novo. A Polónia de todos os dias dividida entre os conservadores e os neo-liberais ou entre gerações arreigadas aos valores de Deus, Pátria e Família (os poucos com uma política pro-família) e os novos polacos que pretendem mostrar ao mundo que a Polónia de comunista e de satélite URSS tem nada - ao contrário do que muitos na UE e no mundo ainda pensam.

Fonte: Gazeta Wyborcza


Donald Tusk, depois de um conturbado período onde criticou a ministra da educação de lhe causar danos na campanha a pontos de perder as eleições - derivado ao plano de reforma do ensino e idade de admissão na escola primária (luta e vitória que a minha mulher travou com outros pais e me encheu de orgulho) tem pela frente o Europeu de futebol este ano e os pseudo-adeptos, vulgo hooligans polacos, que podem vir a tornar o Euro 2012 um campo de batalha manchando a imagem do país e também a mais que provável transição do Złoty para o Euro. A par disto ainda tem pela frente a história deixada para trás com o escudo anti-míssil e as sempre delicadas relações com a Federação Russa e respectivas políticas económicas, estratégicas e energéticas.

Boa sorte, bem vai precisar...

2 comentários:

zekarlos disse...

Boa noite caro "amigo"!
Qual é, de facto, a probabilidade da Polónia entrar para a zona Euro, agora que vivemos uma crise financeira à escala mundial?

Ricardo Taipa disse...

A crise está sempre à espreita e no caso da Polónia nem é a questão de uma eventual recessão. Trata-se mesmo da obrigatoriedade de adesão à Zona Euro. 2015 ou 2016 são uma das datas possíveis. Se for em 2015 então pode ser que ainda apanhe o executivo de Tusk.

Por mim, quanto mais tarde melhor! ;)