quinta-feira, 5 de maio de 2011

Futebol polaco e o hooliganismo

Não costumo abordar o tema futebol neste blogue. Não por má vontade ou por detestar aquilo que alguns denominam como Desporto-Rei mas pelo simples facto que - admito publicamente - não percebo patavina de futebol e na realidade só aprecio os Europeus e os Mundiais. Os campeonatos do SLB-SCP-FCP, a liga espanhola, italiana e a da Polónia não me despertam interesse apesar da minha simpatia pelo Futebol Clube do Porto, fruto da influência do meu pai - um adepto fervoroso dos tempos em que o FCP não ganhava nada. Em segunda opção o Sporting Clube de Portugal - o clube de eleição do meu padrinho algarvio. 
Dizem alguns que devia ser do Benfica pelo facto de ter nascido na capital na freguesia de... São Domingos de Benfica. Obrigado mas o clube da Luz tem demasiados adeptos e não precisa de mais um que ainda por cima não sabe dizer o nome de um único jogador do seu plantel...

A minha experiência em ver jogos não chega a uma mão cheia. No principio dos anos 80 fui ao estádio do Vitoria de Guimarães assistir a um jogo e uma outra ocasião ao estádio das Antas mas, dizia o meu pai com algum desgosto, que no intervalo perguntei se tinha acabado e se podíamos ir para casa... 
Na Polónia o contacto que tive com o futebol polaco foi logo em 2001, quando estudava em Łódź, e dei de caras com os abjetos grafiti dos Hooligans locais. Os dois grandes clubes desta cidade são o ŁKS (leia-se Eu-Ka-Esse) e o Widzew (leia-se Vidzev). Uma ocasião tive o azar de entrar num autocarro urbano, um velho Ikarus, num Domingo "de bola". Estranhei o FSO Polonez da policia atrás do autocarro (ate um carro velho a policia usa para não lhes estragarem os Skoda Octavia ou os Kia Cee'd) mas era apenas um meio de assegurar alguma tranquilidade aos restantes passageiros. Sentei-me nos últimos bancos e lá fui ouvindo os matulões de cabelo rapado, olhos azuis e com vozes roucas a entoar cânticos...

Frequentemente vemos as paredes das ruas pintadas com mensagens de ódio ao clube rival. A sensação com que se fica é que o futebol é apenas um meio para se atingir um fim, o jogo, o convívio com indivíduos que partilham a mesma paixão é um modo de ventilar agressividade, ódio e violência. Talvez seja um meio de se provar a virilidade.
Confrontações violentas entre os adeptos que incluem autenticas batalhas campais em florestas isoladas - acções previamente combinadas entre grupos rivais que já causaram mortos - e destruição de propriedade pública e privada são, infelizmente, a imagem de marca dos adeptos de futebol polaco. Foi assim esta terça-feira na cidade de Bydgoszcz no jogo entre o Legia de Varsóvia e o Lech de Poznań. Um jogo tenso que foi ganho pelo Legia aos penaltis (5 a 4). A euforia deu lugar a uma invasão de campo que incluiu espancamento de fotógrafos, confrontos com a polícia de choque e pasme-se uma tentativa de roubo de um par de chuteiras a um jogador.

Donald Tusk, o primeiro-ministro polaco, pede explicações depois da UEFA e os seus observadores terem presenciado in loco a barbárie dos Hooligans polacos. Esperam-se medidas austeras para conter os ânimos exaltados de uma certa gente que se faz ver mais que outros e que prejudica gravemente a imagem da Polónia no exterior e sobretudo como um dos países organizadores do próximo europeu de futebol.





2 comentários:

Ryan disse...

Ainda nao vivia eu aqui na Polonia e ja ouvia a ma fama de gente que vai ao futebol na Polonia. Obviamente que e gente que nem gosta de futebol, talvez alguns, mas exactamente o que se passa quando se usa futebol como pretexto para violencia. Isto acontece infelizmente no nosso pais. Por exemplo o Benfica vai ao Norte e o vidro do autocarro partido. O Porto vai a Catedral e ha sempre confrontos. Por essas e moutras muito mais comecei a ficar-me apenas pelos Europeus e Mundiais tambem apesar da minha simpatia pelo Benfica.

Pedro Máximo de Macedo disse...

Ainda estes dias, aquando da minha visita ao cemitério Judaico, me deparei com estes caralhos, e a verdade é que eles assutam. Se por um lado, o futebol é um desporto que proporciona rivalidade, entre estes senhores, é só um meio para justificar os fins. Eles lá querem saber se a equipa ganha ou não...