sábado, 21 de fevereiro de 2009

Vinhos portugueses na Polónia


Verdade seja dita que poucas vezes vou ao Joaninha (Supermercados Biedronka) mas ontem abri uma excepção depois de ter comprado, num espaço de dias, duas garrafas de zurrapa Sul Africana e Argentina, digo... vinho tinto seco (wytrawne) de origem em países a que os polacos chamam de Nowy Świat, ou seja, Novo Mundo.

A desculpa de ter a minha mãe uma temporada na Polónia e também o facto de ter alguém para me acompanhar na degustação do tintol levou-me a fazer experiências com vinhos de outras paragens; diga-se de passagem que a variedade de vinhos disponíveis nas grandes superfícies polacas já me levaram a provar vinhos de países tão distantes como a Austrália, a Califórnia (muito bom), Chile, Argentina, Marrocos e - quem sabe- um dia destes a China!
Em Portugal, pelo que me recordo, temos nas grandes superfícies o nosso vinho omnipresente a par de alguns vinhos franceses e italianos.

Ontem decidi dar uma espreita no Biedronka e, qual o meu espanto, deparo-me com uma verdadeira montra de vinhos da nossa terrinha!
A acompanhar a variedade de garrafas portuguesas expostas nas prateleiras manhosas do Biedronka (desculpas ao Grupo Jerónimo Martins mas as vossas adegas no Biedronka são terríveis) estavam brochuras a cores, com o título Z portugalskich winnic e com mais de vinte páginas explicando em detalhe as nossas regiões vitivinícolas, os tipos de acompanhamento dos vinhos, especificações e apresentação de algumas das nossas empresas exportadoras de vinhos, seus respectivos proprietários e enólogos.


Do Alentejo passamos a conhecer José Castro Duarte e o enólogo Pedro Baptista, da minha região (o Minho) lemos os comentários de Manuel Vieira da Sogrape (vinhos Dão Grão Vasco), do Douro o enólogo Miguel Ferreira (Moscatel Favaíto, quem não o conhece?), da Estremadura Luís Martins, Pedro Brogueira Martins e Pedro Martins das adegas Sarvinhos, no Ribatejo José Luís Oliveira da Silva, das Beiras António Madalena e por fim Miguel Pessanha dos vinhos Mateus Rosé.

Além da apresentação destes portugueses a brochura apresenta sugestões e receitas culinárias portuguesas.

Tive o prazer de escolher algumas garrafas de tinto português e levá-las para casa, claro que o sabor e a qualidade do vinho nacional fez-me esquecer rapidamente as incursões e aventuras em terras argentinas e sul-africanas, não desfazendo os bons vinhos desses países.

Mas não há nada como o nosso...

Os polacos apreciam vinho ou têm a cultura do vinho?

Fiz-me esta pergunta várias vezes ao longo destes anos em que tenho convivido com todo o tipo de polacos - excepção feita a alguma aristocracia e celebridades...
Tenho dado bastantes vezes com os burrinhos na água quando - cheio de boas intenções - abro uma garrafa de tinto seco.
Os polacos parecem ter ideia fixa com o pół wytrawne e com o słodkie ou seja com os vinhos meio-secos e sobretudo com os vinhos adocicados.

Em festas de Imieniny (Dia do Nome) ou em convívio os polacos não dispensam uma(s) garrafa(s) de vodka, cervejas (muitas) e, geralmente, uma garrafa de vinho búlgaro, adocicado ou meio-seco; no entanto refiro isto como estereótipos.

Como em tudo na vida há excepções e a Polónia não foge a elas. A cultura do vinho tem vindo a desenvolver-se e hoje em dia, sobretudo em gerações mais novas, o copo de vinho significa não só um toque de classe num jantar a dois ou entre amigos como também significa que se começam a apreciar outras bebidas para além da tradicional vodka.

Digam o que disserem fica muito melhor uma boa garrafa de vinho num jantar a dois do que emborcar vodka alarvamente e fazer figuras de pato bravo... :)))

O caminho é longo, a aprendizagem demorará o seu tempo, a concorrência é provavelmente avassaladora mas, com esforços de promoção como aquele que a Biedronka oferece, Portugal e os seus produtos poderão ter o seu lugar ao sol num mercado de 40 milhões de habitantes.

E quem fala de vinhos fala também do nosso azeite, das sardinhas e da nossa fruta e legumes.

Por acaso ia agora uma fatia de presunto serrano, um copo de Dão e uma fatia de melancia ou mesmo melão de Almeirim!

4 comentários:

João Lima disse...

Aproveita para comprar os vinhos que gostas, ao que sei esta é uma promoção da Biedronka e podes encontrar vinhos a preços não muito diferentes de Portugal. Por exemplo os vinhos da "Encostas de Estremoz" do Castro Duarte estão até mais baratos do que em alguns hipers de Portugal. Abraços

Geraldo Geraldes disse...

Epah, se a Biedronka começar a levar daqui a uns meses melão de Almeirim para a Polónia, vou já já tirar a carta de pesados para me poder agarrar ao Actros e fazer as viagens de transporte ehehe.
Eu lembro-me de ver em Poznan sempre uns 5 ou 6 vinhitos tugas la na Biedronka.

Zé da Bola disse...

Há vinho de Estremoz na joaninha? Se sim vou tirar a garganta da miséria. Vinho da minha terra na Polónia! Epa na segunda vou dar uma volta à joaninha cá do sítio.

PM Misha disse...

por acaso eu até sou mais moço de vinhos semi-adocicados.
lavo-me a rir às vezes com as pomadas que me dão a beber: vinhos da bulgária, moldávia e o diabo a quatro. grandes malhas!