quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

Maçonaria na Polónia - os inimigos milenares da Igreja Latina




Uma das obediências maçónicas polacas, a W.L.N.P.

Portugal é um país com uma longa tradição e história maçónica, os chamados pedreiros-livres estão envolvidos em inúmeros momentos históricos da nossa história quase milenar como por exemplo na Fundação de Portugal e até na Implantação da República, onde alegadamente estarão envolvidos na conspiração que levou ao assassinato do rei D. Carlos e do príncipe Filipe, em 1908, através de um braço armado da Maçonaria denominado de Carbonária.

Os Pobres Cavaleiros de Cristo e do Templo de Salomão, mais conhecidos como Templários, recordam a Sexta-Feira 13 (13 de outubro de 1307) como um dia trágico; foi o dia em que a Ordem seria chacinada e extinta a mando do rei francês, Filipe, o Belo.
Na realidade as dividas que o rei francês tinha para com os Templários - os banqueiros da época - levou-o a conspirar contra a Ordem junto com o então Papa, Clemente V que alegadamente tinha sido eleito Sumo Pontífice em parte pela influência do monarca; mortos os cobradores a divida estaria saldada.


O Grão Mestre dos Templários, Jacques de Molay, é julgado e torturado pela Santa Inquisição junto com outros dos seus companheiros.
Entre a dor da tortura e o instinto de sobrevivência os Templários confessam que cuspiam na cruz e na imagem de Cristo, que alegadamente adoravam a imagem de um gato preto ou uma cabeça que chamavam de Baphomet.
Jacques de Molay é condenado em auto-de-fé sendo queimado em frente da Catedral de Notre Dame a 19 de Marco de 1314; antes de perecer nas chamas amaldiçoa o rei Filipe e o Papa Clemente afirmando que em breve se veriam em frente do trono de Deus. O Papa morre alguns meses depois com uma disenteria e Filipe, o Belo passado um ano.

Jacques de Molay e os Pobres Cavaleiros de Cristo são queimados vivos pela Santa Inquisição no decorrer do processo iniciado por Filipe, o Belo de França.

Mas isto não foi o fim da Ordem. Os sobreviventes deslocam-se para a Escócia - onde a Bula Papal contra a Ordem Templária não tinha efeito - e continuam as suas atividades tornando-se mais tarde na Maçonaria regular conhecida como Rito Escocês Antigo e Aceito.

A Maçonaria divide-se em dois tipos, a regular e irregular sendo a primeira crente no G.A.D.U. (Grande Arquiteto do Universo) e a segunda dispensando ligação a uma divindade, como por exemplo o Grande Oriente de França.

Hoje em dia a Maçonaria regular, do Rito Escocês, é a mais presente e ativa no planeta e muitos dos nossos líderes mundiais - e mesmo algum clero - são maçons.

A Polónia não é exceção apesar de durante séculos a Maçonaria ter sido reprimida e extinta em inúmeras vezes, como por exemplo durante a partição da Polónia ou durante o regime Comunista.
Hoje em dia os pedreiros-livres ou homens do avental, como dizem os partidários da teoria da conspiração, estão bem presentes na Polónia num dos últimos redutos do Catolicismo, num país onde existem inúmeras rádios e estações televisivas subordinadas à Igreja e ao Bispo de Roma como por exemplo a Radio Maryja de Tadeusz Rydzyk.

Tadeuz Rydyk recentemente causou novo escândalo nalguns círculos ao adquirir um Maybach para as suas deslocações.

Tal como em Portugal onde temos a Maçonaria Regular ou G.L.R.P. Grande Loja Regular de Portugal e a irregular como o Grande Oriente Lusitano na Polónia temos a Grand National Lodge of Poland (Wielka Loza Narodowa Polski), o Grand Orient of Poland e a Order of International Co-Freemasonry Le Droit Humain Polish Federation.



Artigo do Warsaw Voice sobre as maçonarias polacas:

http://www.warsawvoice.pl/view/14847/

3 comentários:

Zé da Bola disse...

Epá... as coisas que tu sabes...
Eu invisto pouco tempo em investigar maçonaria mas confesso que sempre fiz uma ligação da Radja Maria a esse grupo sobretudo pela força que eles têm na Polónia. Em vez de se desenvolver o país desenvolve-se os bolsos desses comilões com vários pretextos. Há dias alguém me falou duma série qualquer onde era relatado o que o estado fazia para apoiar a Igreja em vez de melhorar infraestruturas.
Ah... e lembrar que o presidente polaco e seu irmão gémeo foram eleitos à custa da maldita influência que esses "gulosos" têm na população.

Ricardo Taipa disse...

Ze da Bola

Olha que a Igreja Católica Apostólica Romana e a Maçonaria são duas forças opostas, no entanto há maçons na Igreja e católicos na Maçonaria. O Dan Brown aborda o tema no romance Anjos e Demónios.

Se o Rydzyk é um maçon não sei mas já não digo nada!

Rui Vilela disse...

Isso da processo da inquisição foi uma desculpa para a coroa francesa ficar com os bens dos Templários. A coroa só teve de encontrar o melhor método de os matar a todos.