domingo, 26 de outubro de 2008

Outono - Jesień



Hoje de manhã, enquanto passeava a cadela, tirei esta fotografia nas traseiras do prédio. O Outono chegou com toda a sua força e beleza, pelo menos para mim é um espectáculo da natureza, o prelúdio do Inverno (aquela palavra terrível - Zima!) e de... muito frio.

Ainda há pouco tempo estas árvores estavam repletas de folhagem verde e os ninhos dos pássaros com as suas crias fervilhavam de actividade, as crianças brincavam nas caixas de areia, nos baloiços e nos arcos enquanto os adolescentes jogavam basquetebol ruidosamente e ao sabor do hip hop que emanava das colunas dos seus carros.
Os "pombinhos" beijavam-se nos bancos mais próximos e sentia-se frequentemente o cheiro a kiełbasa assada (o churrasco polaco) proveniente de alguns "parterze" (rés-do-chão) mais afortunados que têm a sorte de terem um terrenito nas traseiras mas agora tudo acaba assim.

A esta fase que atravessamos os polacos chamam-lhe "Outono polaco dourado" por causa das cores outonais que invadem a paisagem, sobretudo os dourados e amarelados das folhas.

Penso muitas vezes no Outono de Vila Nova de Famalicão, que diferença! Se por um lado é menos frio por outro é muito mais húmido e as nossas belas casinhas mediterrâneas/sulistas não foram feitas para o frio, os portugueses no fundo são optimistas e andar de camisola e meias grossas dentro de uma casa húmida é normal (é só até ao Carnaval!), ao menos aqui temos os aquecedores a fazerem esquecer rapidamente as agruras do tempo, já em Portugal era normal ficar com os dedos gelados no teclado do computador!

Mas não posso ser tão ríspido com o nosso Outono português. Fazem-me falta as castanhas... essa iguaria que tantas vezes me fez protestar quando passava na Avenida dos Aliados e ficava a cheirar a castanha assada ao passar pelas inúmeras vendedoras de castanhas que rodeiam a estação de São Bento.
Desculpem minhas senhoras! Nunca mais vos farei cara de pau! Venham as castanhas embrulhadas nas páginas amarelas roubadas nas cabines telefónicas, podem mesmo vir embrulhadas no Correio da Manhã ou no jornal A Bola, venham é as minhas ricas castanhas assadas e os saudosos magustos que por aqui as castanhas polacas não são comestíveis e magusto é algo que nunca se ouviu por estas paragens!


Na passada Sexta-Feira, ao rodar a chave do carro, ouvi novamente o melancólico "plin plin plin" do computador de bordo a avisar para ter atenção na estrada, o carro relembra-me sempre que o frio chegou e a temperatura está abaixo de 4 graus.
Obrigado pela preocupação mas por vezes preferia nem saber!

5 comentários:

João Tavares disse...

É verdade... o frio sente-se de maneira diferente, e como dizes... as casa polacas estão bem melhor equipadas para o frio que se faz sentir por essas paragens... e sabe mesmo bem ver pela janela a neve cair enquanto se saboreia um belo chá quentinho... hmm recordações do natal passado na Polónia... :D

abraço!

Zé da Bola disse...

Sim venham as castanhas, o bacalhau, o café Delta, as portuguesinhas moreninhas, as Sagres, bom a lista iria ficar enorme. As saudades do que é nosso são muitas. Já são alguns anos longe.. apesar de estar quase há um ano pela Polónia. As saudades de conversar em Português apertam para não falar de outras coisas, enfim... já agora manda as kielbasas e outras iguarias polacas às ortigas

Arnath disse...

Estou na Polónia desde Setembro, e agora com este último fresquinho que se tem sentido só me faz temer quando estivermos mais adiantados no ano, bem lá no meio do Inverno...:S
Nahh, não quero Zima nenhum, eu cá prefiro ficar no Outono :P

Ricardo Taipa disse...

Passaram quatro anos desde que comecei a viver aqui. Quando começa mesmo a chegar o Inverno, em Dezembro, ainda se aguenta bem, temos o Natal e o Ano Novo e sempre distrai um pouco...

O pior mesmo é a partir de Janeiro e durante Fevereiro! Quando chega a Março e começa a temperatura a aumentar ligeiramente fica tudo borrado de gelo derretido, neve suja e aqueles montículos de neve nos passeios e nos parques de estacionamento. A agravar isto tudo temos o sal e areia que colocam nos passeios e que trazemos invariavelmente para casa mas quando chega a Primavera esquecemos tudo rapidamente! ;)

Ricardo Taipa disse...

Cześć Zé da Bola!

Ontem andei a mexer nas definições do blogue pois não permitia comentários de "não-Googlers" ou de anónimos, se calhar já tinhas experimentado comentar mas não dava, as minhas desculpas. ;) De facto há sabores que só no nosso país podemos experimentar.

Da ultima vez que fui a Portugal das primeiras coisas que fiz quando cheguei foi tomar um café (bica) e comer uma nata.