terça-feira, 28 de outubro de 2008

Graffiti


A dada altura deixamos de notar que eles existem mas a verdade é que a quantidade de paredes, muros, mobiliário urbano - praticamente tudo o que está estático na via pública - das grandes cidades polacas está "graffitado" ou "tagado".


Aqui em Łódź a guerra dos graffiti faz-se sobretudo entre os fãs dos clubes de futebol ŁKS e Widzew, normalmente começa com um simples graffiti do logótipo do clube que vai ser riscado e vandalizado pelos rivais. Para quem não está a par desta realidade ficará chocado com a quantidade de cruzes de David (o símbolo de Israel) que aparecem como forma de insulto mas não é nada directamente contra os judeus ou especificamente contra a nação israelita mesmo que apareca uma forca com uma cruz de David pendurada e a mensagem "ŁKS = Judeus" ou "Widzew = Judeus".

O nível dos graffiti é proporcional à inteligência e fanatismo dos seus adeptos, chamar judeu é um insulto e uma forma de menosprezar o clube adversário. De onde virá este anti-semitismo?

Mas, à parte deste lado negro dos graffiti futebolísticos, surgem por vezes verdadeiras pinturas murais que só no nosso "Verão Quente" existiram.
O mais conhecido de todos, tido como o maior da Polónia e da Europa, fica na avenida Piotrkowska, na alçada lateral de um edifício, e representa a cidade de Łódź como um barco (łódź) que navega num mar de lajes de cimento.


Para os lados de minha casa, em Bałuty, o proprietário de uma pizzaria resolveu que estava na hora de acabar com os constantes graffitis futebolísticos e vai de contratar os ditos "vândalos" para lhe pintarem a parede da "Pizzeria Corleone"!



Remédio santo!

4 comentários:

Zé da Bola disse...

É simples não podes vence-los junta-te a eles. Se os graffitis até fossem algo vistosos uma pessoa até fecharia os olhos mas o que acontece é que nunca se vê nada de jeito. Enfim é bonito imitar o que se faz por outros lados... com essa mentalidade vão longe

Rui Vilela disse...

As grafites do futebol, anti-semitismo, e do "nada" são mesmo as piores ...

bruno claudio disse...

da ultima vez que estive em lisboa, em abrl, o cenario era bem pior do que aqui. o grafiti é uma manifestaçao de arte de atrasados mentais. curios que em outras cidades europeias, há entre a "comunidade de grafiteiros" uma especie de concordia, nao grafitar partes ou elementos de edificios que sejam considerados historicos. e há uma nova vaga que já nem sa tinta, mas sim uma especie de colagem, menos desagradavel á vista.

http://varsoviabybc.blogspot.com/

Marta Guerreiro disse...

Se gostas de graffiti do que estás a espera? Mas mesmo que odeies, aparece para cascar!
Participa dia 16 de Junho de 2009, pelas 18:00h na Biblioteca UNL no Campus de Caparica, na inauguração da exposição Terroir Graffiti

A exposição integra uma dimensão extramuros, onde um Writer será acompanhado na sua actividade por uma equipa de filmagens que produzirá um documentário, outra intramuros que consiste na pintura de um mural do Campus de Caparica e uma terceira indoor, instalação efémera de artes plásticas.

Poderás participar no debate que reúne artistas, investigadores no campo das ciências sociais e outras individualidades que trabalham sobre o tema da arte urbana.

Local: Biblioteca UNL no Campus de Caparica – Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa
Data: 16 de Junho a 11 de Setembro de 2009
Horário: 16 de Junho a 19 de Julho, 2.ª a 6.ª, das 09:00h às 20:00h.
20 de Julho a 11 de Setembro, 2.ª a 6.ª, das 09:00h às 17:00h.
Para mais informações: http://biblioteca.fct.unl.pt
http://bibliotecaunl.blogspot.com/

Como cá chegar:
http://www.fct.unl.pt/candidato/como-chegar-a-fct