sábado, 27 de novembro de 2010

Russia admite oficialmente culpa no massacre de Katin em 1940


 José Estaline. O grande filho da puta que só a liberdade e a Internet podem realmente condenar e colocar na História ao lado de Hitler, Mao Tse Tung, Pol Pot

Novos números afiguram 20 milhões de seres humanos mortos directa e indirectamente em consequência do Estalinismo


Foi através da rede social Facebook que soube. O meu compatriota Daniel publicou um link para a noticia que nos dá conta do mea culpa russo nos massacres da floresta de Katin, nos anos quarenta do século XX.

A História é reescrita no século posterior, volvidos mais de cinquenta anos sobre os acontecimentos. Não deixa de ser irónico – apesar de não desculpabilizar de nada os Nazi – que a decapitação da elite militar polaca tenha sido orquestrada por um regime que, na altura, era a esperança para milhões e aliado da Polónia. O Comunismo e a Esquerda Socialista estão tão sujos e enterrados no lodo quanto os Fascistas alemães de Hitler, os Franquistas ou, em menor escala, os Salazaristas. Crimes contra a humanidade feitos por Comunistas. Perguntamos-no porventura como é possível que ainda haja quem siga tal regime. O que fariam as democracias, o politicamente correcto se houvesse um Partido Nacional Socialista? Como reagiriam se alguém pendurasse em praça pública ou em livros de História o retrato de Adolf Hitler e a suástica?

José Estaline, o grande psicopata soviético, o adorado líder da URSS e do Comintern, reproduzido em estátuas e cartazes ao longo de décadas - por todo o mundo - pintado em murais e padrinho de partidos Comunistas, mandou matar 22 mil oficiais do exército polaco na floresta de Katin. Traição, covardia, intriga. Acusaram os alemães nazis e deixaram a “teoria da conspiração” tomar conta do recado. Os polacos nunca aceitaram de animo leve a autoria dos massacres. O Kremlin acusa José Estaline e o NKVD (posteriormente KGB). O presidente polaco Komorowski mostra a sua satisfação dizendo:

“Acredito que isto e um sinal positivo que vem de Moscovo, antes da visita do presidente Dmitry Medvedev a Varsóvia. Temos de aceitar este documento com grande satisfação, tendo em mente que este é um documento oficial do parlamento [Russo]”

O primeiro-ministro Donald Tusk recebe a noticia como um “bom passo” da Rússia e renova esperanças em outros passos.

Os massacres ocorreram nos territórios da Ucrânia, Bielorrússia e Rússia sendo o mais conhecido o massacre de Katin em Smolensk onde, por ironia do destino (ou não) o presidente polaco e a sua comitiva morreriam num acidente de aviação.

No documento que reconhece o crime lê-se:

Em nome do povo russo, a Duma (parlamento) estende a mão da amizade à nação polaca e expressa a esperança de um novo começo nas relações entre os dois países, as quais se vão desenvolver na base de valores democráticos (...)  “Condenamos veementemente esse regime, o qual desprezou as vidas e direitos do cidadão comum”  

A nação polaca tenta aceitar a herança História e reconciliar, outros rejubilam alheios provavelmente ao facto que Medvedev visita Varsóvia no dia 6 de Dezembro e Komorowski os EUA dois dias depois. O primeiro encontro oficial de Komorowski na Casa Branca, poucos dias depois da visita de Barack Obama a Lisboa, durante a Cimeira da NATO.

Hoje, tal como ontem, a Polónia, sempre no fio da navalha.

6 comentários:

Geraldo Geraldes disse...

Espera-se que seja um passo em frente.

Ricardo Taipa disse...

E que não haja um abismo.

Ermelinda disse...

A hipocrisia da política é um veneno.Vai-se assimilando sem dar por isso porque o ser humano tem necessidade de acreditar.
Tanto mal foi feito em prol de tão pouco,tanta mentira,traição e maldade.
O Povo Polaco foi moeda de troca despudoradamente ao longo da história.É bom denunciar.

D.cs disse...

Meu caro, o que me revolta é a fé que ainda têm no Comunismo aqueles que nunca viu os seus efeitos práticos ou o resultado dos mesmos... Viva o P C P... Ou nao!

Grande Abraco,

Ryan disse...

Veremos as cenas dos proximos capitulos. A Polonia sofreu com o comunismo. O resto do mundo sofreu com o comunismo. Mas sofremos tambem com outros ismos em que vamos votando. Sao ismos que nos dao mais satifacao talvez mas no fundo acabamos quase da mesma forma que esse tal ismo que vinha de leste.

Sérgio disse...

A grande Mãe Russia tem ainda muitos pecados a expiar relativamente o periodo Stalinista e Bolchevique. Os paises periféricos, sempre foram tratados com algum desprezo, a este "acto de contrição" não deve ser alheio o facto da Polónia integrar a NATO e alguns investimentos Alemães de monta.