segunda-feira, 10 de maio de 2010

Smolensk - acidente ou sabotagem?

Fot. Saley Alexey 2010-05-07 - Gazeta Wyborcza

Volvido um mês, sobre o trágico acidente de Smolensk, a área florestal onde se despenhou o Tupolev presidencial foi, de acordo com o jornal polaco Gazeta Wyborcza, “tornada um espelho” pelas equipas de limpeza russas e polacas. Há romagens ao local, os camionistas TIR polacos desviam a rota e param para prestar homenagem aos seus mortos. Não resta um único vestígio do avião ou dos seus passageiros e apenas as árvores cortadas e partidas pelas asas e fuselagem do aparelho testemunham o sucedido a 10 de Abril de 2010.

Nos atentados do 11 de Setembro nos EUA as teorias da conspiração começaram no rescaldo da tragédia; neste caso americano e após ter lido imensas teorias conspiratórias e as versões oficiais cheguei à conclusão que há muitas pontas soltas nas versões ventiladas pelos media e pelo governo americano.
Tal como o Incidente do Golfo de Tonkin, o assassinato de John Kennedy ou a Operação Gladio – no auge da Guerra Fria – nunca sabermos a verdade ou só muito mais tarde teremos acesso a alguma informação que confirme as tais teorias da conspiração, tal como sucedeu com o Massacre de Katin – tido como 'conspiração' durante décadas.

Kaczyńsky e a elite conservadora polaca – junto com a tripulação, agentes policiais e civis – não se livram de fazerem parte de uma teoria que nos diz que o acidente foi na realidade um atentado. Uns dizem que foram os russos (estando Putin consciente do assassinato) e outros apontam o dedo aos serviços secretos russos e polacos, junto com os opositores políticos de Kaczyński - a procurarem cumprir a agenda dos ditos globalistas.

Tudo estava devidamente explicado - um fatídico acidente envolvendo erros de pilotagem associado a nevoeiro intenso e falha do dispositivo TAWS Terrain Awareness and Warning System que emite um sinal acústico sempre que o aparelho se aproxima do solo - até que um vídeo amador, filmado por um cidadão russo de nome Andrei Mendierej, despoletou dúvidas na cibercomunidade. Mendierej dirigiu-se ao local do despenhamento logo após a explosão da aeronave e alegadamente filmou dois vídeos, um com uma câmara e outro com o telemóvel – o primeiro seria confiscado in sito e apagado pelas autoridades russas mas o segundo escapou e pode ser visto em centenas de cópias na Internet.

O polémico vídeo não foi considerado como relevante para a investigação quer por autoridades russas quer pela comissão de investigação polaca, na realidade a fraca definição da câmara permite apenas visualizar destroços fumarentos e floresta mas a trilha áudio revela algo inusitado num local de despenhamento de um avião de passageiros; tiros e gritos. Alex Jones no seu site Infowars transcreve o diálogo que se ouve na floresta de Smolensk o qual traduzi para língua portuguesa:


0:13 Calma!
0:18 Olha-o nos olhos.
0:22 Calma!
0:29 Oh, meu Deus!
0:30 Todos eles!
0:31 Mata-os!
0:38 (Ouve-se a sirene do aeroporto)
0:45 Cerca-o! Vão à volta! Ele está a fugir!
0:47 Dá-me uma pistola.
0:49 Anda cá seu sacana!
0:50 Mata-o!
0:51 Não nos matem.
0:51 Não nos matem.
0:55 Meu Deus, Meu Deus, o que é isso?
0:55 Disparem!
0:56 (som de arma a recarregar)
0:57 (Tiro#1)
1:01 Vocês não vão longe com isto! (voz do autor do vídeo)
1:07 (tiro#2)
1:09 (risos)
1:13 Mudança de planos – anda cá!
1:14 Venham cá todos –rápido!
1:14 (tiro#3)
1:17 (tiro #4)
1:20 Vamos-nos pirar daqui.

Uma das explicações para os tiros diz que se tratavam de locais curiosos ou a quererem pilhar ou das munições dos agentes de segurança do presidente a explodirem no intenso fogo do querosene mas as situações bizarras não ficam por aqui. Mesmo nos media polacos há referências a situações graves como o portátil de Aleksander Szczyglo (ex-ministro da Defesa) ter sido confiscado tal como uma pasta com documentos pertencentes ao ex-chefe da segurança - Zbigniew Wassermann - isto três horas após a tragédia (curiosamente o mesmo aconteceu com o escritório e uma pasta de Adelino Amaro da Costa após o acidente de Camarate em 1980). O facto do avião não ter tentado aterrar quatro vezes mas apenas uma, o piloto polaco que foi dito não poder comunicar com a torre porque não falava russo mas na realidade era fluente nesse idioma e a inexistência de imagens com bagagem, roupas e os corpos das vítimas – estavam quase uma centena de passageiros a bordo do Tupolev. As próprias caixas negras não foram ainda tornadas públicas no seu conteúdo e apenas transcrições foram dadas às autoridades polacas. Pouca ou quase nenhuma informação tem sido ventilada. O facto é que o executivo de Kaczyński não parecia favorável à agenda de determinados grupos e foi dos poucos que resistiu à paranóia da vacina pandémica, à assinatura do Tratado de Lisboa e aos empréstimos do FMI – nas reuniões formais o governo polaco sugeriu que poderia inclusivamente prestar apoio monetário a países com situação financeira problemática tendo em conta que a economia polaca cresceu - mesmo em plena crise financeira.

O tempo dirá se há teorias que permanecerão conspiração ou se têm algum fundamento. Katin foi julgado por muitos polacos como a Golgota polaca, um local trágico, uma floresta de mentiras, conspirações e morte.

8 comentários:

Tiago disse...

Porra. E que se diz nos media polacos?

PM Misha disse...

levantaste aí uma lebre interessante mas vai ser complicado, senão impossível, comprovar o que seja.

parece-me que vai ficar tudo por saber, cada versão é passível de interpretações e receio que nunca se vá apurar o que realmente aconteceu.

Ricardo Taipa disse...

@ Tiago: Os media polacos tm sido contidos excepto o pasquim FAKT.

@ Nuno: Penso do mesmo modo. Temos Smolensk II, desta vez envolvendo um avião.

Isabel de Lyz Girou disse...

Porque será que esta "dúvida" não me surpreende nada?

Quando ouvi a notícia foi o que me veio imediatamente à cabeça - sabotagem. Smolensk era mais um político incómodo, para "certos" governos daquela zona do Mundo.

Também será mais um mistério. Nunca se saberá a verdade.

Isabel de Lyz Girou disse...

Entrei em casa alheia sem ser convidada... não reparei, pensava que estava no blog do Nuno.

Peço imensa desculpa.

Isabel de Lyz Girou

Ricardo Taipa disse...

Ora essa. Volte sempre Isabel Girou! :)

Isabel de Lyz Girou disse...

Obrigada Ricardo.

Vou voltar sim, já "passei os olhos" por alguns textos e fiquei muito interessada em aprofundar o seu blog. É sempre bom aprender novas coisas, ler e conhecer outras opiniões e outras culturas, são oprtunidades que eu não perco.

Vou aparecer sempre que tiver oportunidade.

Gostei do que já li.

Felicidades.

Isabel Girou

Jest nas Wielu disse...

E a pilhagem do cartão de crédito pertencente ao Andrzej Przewoznik (dirigente do Conselho para a Conservação da Memória da Luta e do Martírio) perpetuada pelos militares russos, que supostamente deveriam guarnecer o local do acidente?