segunda-feira, 4 de maio de 2009

Majówka - Mini-férias na Polónia

Foi bom, mas foi-se. Os três dias de dolce fare niente passaram - como de costume - a correr, mal deu para descansar!

Maio é um mês especial para os polacos e para os que habitam neste país agora verdejante.
As agruras daquele (ainda recente) Inverno com neve e gelo, a sacudir neve do carro e dos sapatos, sem poder ir à varanda sem congelar parecem ter sido há muito mais tempo do que realmente foram.
A Primavera chegou com todo o seu ímpeto e praticamente já não há árvores sem folhagem.
Maio é de facto um mês especial para os polacos, é o mês do fim-de-semana prolongado e das mini-férias graças a um curioso "ajuntamento" de datas festivas que começam com o 1 de Maio e acabam com o Dia da Constituição, a estes dias chamam-lhes Majówka o que em português daria algo como "Maiada".

O 1 de Maio na Polónia não é o Dia do Trabalhador, isso de celebrar feriados de comunistas é mesmo e absolutamente para esquecer! Para sempre, até ao fim dos tempos.
O 1 de Maio é pura e simplesmente um dia de feriado nacional, diz-se em polaco Święto Pracy.

Biało i czerwony (branco e vermelho). A bandeira oficial desde 1919. Vermelho simbolizando a trágica história da Polónia, feita de derrotas, sangue derramado mas sempre com vitórias, a luta pela sua independência. Branco simbolizando a pureza e a paz, a honra.

No dia seguinte celebra-se o Dia da Bandeira - Dzień Flagi - mas não é feriado.
O Dia da Bandeira é um dia nacionalista no qual vemos amiúde bandeiras polacas penduradas nas janelas das casas, nos mastros, nas empresas, nas repartições públicas, nas estações e nos bancos.
Alguns militares na reserva e veteranos celebram esta data saindo à rua com as suas fardas, fazem-se por vezes paradas e relembram-se batalhas duras, tempos de grande sofrimento e incerteza que passaram por este país, tempos esses que, para nós portugueses, são quase inimagináveis. Enquanto Portugal manteve as suas fronteiras estáveis durante mais de 800 anos a Polónia foi sistematicamente invadida e invasor, expandiu e contraiu mantendo sempre a sua identidade, sendo sempre uma nação.

A primeira estrofe do hino da Polónia (Dąbrowski Mazurka) reflecte bem esse espírito lutador:

Jeszcze Polska nie umarła,
Kiedy my żyjemy
Co nam obca moc wydarła,
Szablą odbijemy.


A Polónia ainda não pereceu
Enquanto nós vivermos
Aquilo que os nossos inimigos nos tiraram
Com a espada recuperaremos

O feriado do 3 de Maio recorda algo tão importante com o facto da primeira constituição democrática europeia ser polaca.

Ainda nesta onda de feriados nacionais surge o feriado do 3 de Maio Święto Konstitucji Trzeciego Maja. Infelizmente os quase 45 anos de Comunismo Soviético, ou melhor, Socialismo, impregnaram a imagem da Polónia.
A esmagadora maioria das pessoas ainda vê a Polónia como mais um daqueles países que foram comunistas, recordam os tempos do General Jaruzelski, das lutas de Wałęsa e do Solidarność, das perseguições do partido à oposição, das senhas de compras, do assassinato de Popieluszko, da URSS e das paradas militares com a exibição dos misseis nucleares na Praça Vermelha, Lenine e Estaline, Kruschev e Brejnev, as revelações do Arquipélago de Gulag de Soljenitsin, a tenebrosa imagem da Cortina de Ferro e do muro de Berlim, quem sabe até o videoclip de Elton Jhon, Nikita. Sim muitos de nós arranjaram uma Nikita e casaram com elas em plena liberdade, já não precisamos de tirar fotografias à distância e desenhar corações na neve! O mundo mudou. Já não há Nikitas.

A Polónia é um país democrático, os polacos são democratas e a primeira constituição democrática na Europa é polaca, foi aceite em 1791. Portugal viria a ter uma constituição em 1822, três décadas depois.

Durante a ocupação Nazi e posteriormente durante o regime pró-soviético, o feriado do 3 de Maio foi banido em favor do Dia do Trabalhador.

As mini-férias

Estes dias são ideais para viajar e para passar uns dias na działka, muitos polacos assim o fazem e é notório uma diminuição substancial no trânsito.
Uma "escapadinha" até as montanhas e florestas, aos lagos - onde muitos polacos têm um barquinho - ou até ao Báltico são comuns nesta temporada.


As paisagens polacas oferecem, por vezes, panoramas inesquecíveis! Viva a Polónia!

2 comentários:

Paulo Soska Oliveira disse...

Na Polónia, sempre o 1.o de Maio se chamou Swieto Pracy - é a versao "curta" do nome oficial:
Międzynarodowy Dzień Solidarności Ludzi Pracy.

Antecede o Comunismo.
Em 1886, realizou-se uma manifestação de trabalhadores nas ruas de Chicago - essa manifestação tinha como finalidade reivindicar a redução da jornada de trabalho para 8 horas diárias e teve a participação de milhares de pessoas, tendo ocorrodio uma greve geral.

Em 1889, a Segunta Internacional (hoje Internacional Socialista, da qual António Guterres foi presidente) propôs a continuação dessa luta em França.

Em 23 de Abril de 1919 o senado francês ratifica o dia de 8 horas e proclama o dia 1 de Maio desse ano dia feriado. Em 1920 a URSS adota o 1º de Maio como feriado nacional, e este exemplo é seguido por muitos outros países.

Não desvirtuemos os factos. O seu a seu dono - tendo sido essa grande nação comunista, a França, a primeira a implementar esse dia. :)

Ricardo Taipa disse...

Compreendo a ironia em relação ao país do Maio de 68 mas temos de reconhecer que esse feriado é associado sempre aos regimes comunistas e suas respectivas paradas e júbilo pelos feitos da URSS e da Revolução Russa.

Em Portugal, após o 25 de Abril, foi um feriado praticamente arrebatado pelo PCP e pelos sindicatos ligados a ideologias de Esquerda. Ainda agora se verificou esse apropriar do feriado com a agressão de membros do PCP a Vital Moreira do PS (ex-PCP).

De qualquer modo obrigado pelo complemento a esta mensagem. ;)