segunda-feira, 24 de novembro de 2008

And since we've no place to go Let It Snow! Let It Snow! Let It Snow!


Tá bem abelha! A música Let It Snow é clássica e a primeira vez que a ouvi foi em 1990 no filme Die Hard II com Bruce Willies. Na cena final, depois da explosão do Boeing 747 dos vilões, a música passava enquanto a neve caia e John McClane , ensanguentado e cansado, abraçava a sua esposa; na altura tinha 17 anos, estava sentado num cinema em Portugal e neve só havia visto duas vezes na vida, não me recordo mas com certeza não estava frio ao sair daquela sala e nunca na vida me ocorreria que iria conviver diariamente com a dita neve!

É inevitável mais um tópico de um português na Polónia acerca da neve mas a verdade é que a primeira neve é sempre um momento simbólico para quem mora na Polónia, marca o inicio de um Inverno longo e frio, de pouca luz solar e de situações aborrecidas como por exemplo vestir o dobro das roupas, ter os cabelos despenteados por causa do gorro, ter os óculos embaciados mais frequentemente, sacudir a neve e raspar o gelo do automóvel, andar com mais cuidado para não escorregar nas ruas gélidas e também ver as beldades polacas completamente vestidas durante vários meses...

Passados este anos todos a viver na Polónia, após tantos Outonos e Invernos a neve ainda me impressiona e causa-me uma relação amor-ódio; na realidade gosto de ver o manto branco por todo o lado, tem o seu encanto diga-se passagem mas torna-se banal ao fim de duas semanas, rotina em meados de Janeiro e insuportável em Fevereiro.

Um dos primeiros sinais da época fria começa em finais de Setembro quando as noites ficam quase repentinamente frias e sente-se no ar o cheiro a fumo proveniente das lareiras e salamandras das casas. Em Dezembro já nos habituamos ao som da neve a estalar debaixo das botas, aos montículos de neve ao lado dos passeios e entre os carros, já nem olhamos para os caleiros dos prédios e as suas estalactites, para o gelo sujo, atirado pelos pneus dos carros e camiões, tudo isso passa a ser invisível.
O frio, a neve e o gelo passam a ser rotina, deixamos-nos de preocupar com o termómetro e os "menos qualquer coisa", remetemos para um canto as comparações climáticas Portugal-Polónia e vivemos o dia-a-dia como qualquer polaco. No fundo há coisas muito mais importantes na vida do que neve e frio e essas ocupam-nos inevitavelmente a cabeça.

O lado bom é o regresso a casa, as divisões aquecidas e o jantar onde não faltará uma cerveja fresca e uma sobremesa de gelado para esquecer o frio que faz lá fora.

Ah! E as polacas dentro de casa não precisam de andar todas vestidas. :)

3 comentários:

João Tavares disse...

Ao ler este post deixa-me com um sorriso de nostalgia... para mim um mero Português que pela primeira vez que vê, sente e cheira a neve é precisamente na Polonia. fiquei verdadeiramente encantado com todo esse clima, deixou os meus olhos a brilhar assim que pisei solo Polaco no dia 26 de Dezembro de 2007, curiosamente parece haver uma competição das casas mais exageradamente iluminadas com luzinhas, Pais Natal, renas e gnomos! mas tudo isso é magico, e para mim deixou-me encantado!

PM Misha disse...

Ganda post, os meus 5 sentidos foram todos devidamente massajados pelas tuas palavras.
Até daqui consegui cheirar o céu de fumo tão típico da Silésia e que era a primeira impressão que sentia assim que estacionava o carro em Tychy.
Viva a neve, viva o frio, vivam as polacas pouco vestidas, viva a Tyskie em casa enquanto caem 3 graus negativos lá fora, viva o gelado de chocolate do Tesco com pigwówka (pergunta aí aos nativos) e viva a Plóina!

ninuś disse...

Viva a Polónia! :D