segunda-feira, 30 de março de 2009

Avô Cantigas contra os Krasnoludki

Pôr do Sol em Labruge, Portugal. Momentos inesquecíveis no jardim à beira-mar plantado


Łódź by-night

Amiúde dou por mim a pensar nos meus passeios à beira-mar em Vila do Conde, naquela estrada em paralelo que dava acesso à praia do Mindelo, deslizando o carro em direcção Atlântico, nessa praia assisti tantas vezes a lindos pôr-do-sol, estas e muitas outras memórias (tantas!) que Portugal deixa são cortadas por a realidade pura e dura de me encontrar emigrado num país improvável, numa cidade velha e cinzenta, sem mar, sem lagos e nem sequer com um rio que se veja.

Recordo-me estar dentro do meu velho Fiat 128 Sport, num Domingo qualquer, num Verão qualquer, com uma ex-namorada, com um calor abrasador intervalado por uma fresca brisa marítima e pensar como gostaria de ter outra vida.
Aquela relação estava condenada, o carro era emprestado pelo meu pai e eu era mais um dos estudantes universitários da cidade do Porto, se alguém me dissesse que dali por 10 anos estaria a viver e a trabalhar na Polónia, casado com uma polaca e com dois filhos iria certamente rir-me a bandeiras despregadas!


Ontem este pensamento ocorreu-me enquanto tinha o meu pequeno Manuel, a dois meses de fazer três anos, no meu colo enquanto no Youtube passava um vídeo do Carlos Vidal, o "nosso" Avô Cantigas!
O Avô Cantigas cantava as virtudes de comer uma boa sopa na canção "Come a Sopa, Vá Lá", o que já me deu para rir com vontade pois, de acordo com a minha mulher, o pequeno Manuel parece dizer Dupa Lá Lá, Dupa Lá Lá, o que em polaco significa O Cu Lá Lá, o Cu Lá Lá! Coitado do Avô Cantigas...

O Avô Cantigas chama-se Carlos Alberto Vidal e tem passado de geração em geração; passou pela minha e passa agora pela dos meus filhos

Longe vão os tempos em que utilizava o computador exclusivamente para assuntos pessoais ou para jogar Tomb Raider ou outro jogo qualquer; o meu velhinho PC tornou-se também uma espécie de entretenimento infantil onde se ouve frequentemente o Jardim da Celeste, o Eu Vi Um Sapo, Passarinhos a Bailar e, obviamente, musicas infantis polacas como o My jesteśmy Krasnoludki! Krasnoludki... anões em polaco diz-se krasnoludki, estamos sempre a aprender.

Este sintoma do papá é desesperante, damos por nós a cantar canções infantis, sem tempo para nada, a fazer compras pensando se isto e aquilo vai ser bom para o menino, se ainda temos fraldas em casa, toalhinhas húmidas etc, quando chega a noite parecemos o Shrek e a Princesa Fiona a caírem para o lado na cama, ressonando quase de imediato.



Fotos: http://psombra.blogspot.com
, http://www.skyscrapercity.com/showthread.php?p=30681122; http://www.flickr.com/photos/stefbra/2565240281/


6 comentários:

PM Misha disse...

viver em lodz não ajuda nada...
abraço e coragem, a "primavera" já aí está.

Anónimo disse...

NOTA-SE A SAUDADE DA PÁTRIA,MAIS AINDA O SEU CLIMA.
LINDA IMAGEM DE LODZ À NOITE.
ÂNIMO.

Geraldo Geraldes disse...

Opah, manda o avô Cantigas para os abrunhos!!! daqui a uns anos estás a mostrar vídeos dos Jogos Sem Fronteiras, de canções do Emanuel e os teus filhos vão ficar com a ideia (como acontece na maior parte das vezes) que Portugal é um país de labregos. :).
Ps: Confesso, nunca gostei do avô Cantigas. Gostava mais da Rua Sésamo.....por causa da Alexandra Lencastre, claro está.

Anónimo disse...

Ora,coitado do Avô cantigas,se o meu neto nascido na Polónia gosta,é porque continua a ser agradável para o ouvido das crianças e melhor que isso vai cantando em Português,nada de falar mal do "Avô"...

Ricardo Taipa disse...

Ah! O anónimo afinal é a minha mãezinha! LOL

Identifique-se por favor! :)))

Anónimo disse...

Permite-me uma correcção neste teu artigo, naquela estrada de paralelo que dava à praia de Árvore, e não Mindelo. É verdade, belos pôr-do-sol...

Parabéns, sempre achei que tinhas muito jeito para a escrita!